Fundos Imobiliários: A melhor maneira de iniciar na renda variável

Tempo de leitura: 5 minutos

Falar em renda variável, em bolsa de valores ou em mercado de capitais causa receio em diversos investidores iniciantes . Isso ocorre principalmente por falta de conhecimento e por uma colaboração não tão positiva que alguns veículos de comunicação dão ao apresentar o mercado de capitais, de maneira totalmente equivocada, como um verdadeiro cassino.

O mercado de capitais é importantíssimo para o financiamento da atividade produtiva. Além disso, ele da a chance para qualquer pessoa, com algum conhecimento e capacidade de poupança, se associar a grandes empresas (ações) ou a grandes empreendimentos imobiliários (Fundos Imobiliários) e receber a sua proporção no lucro dessas atividades.

Nosso foco aqui nesse site são os Fundos Imobiliários e o objetivo desse artigo é mostrar para você porque os Fundos Imobiliários são a melhor maneira para você iniciar na renda variável.


A análise é menos complexa do que ações

Analisar uma empresa é algo complexo. Empresas diferentes atuam em setores diferentes e só isso já cria uma barreira para o investidor individual. Afinal, nem todos têm conhecimento, tempo ou mesmo vontade para entender o funcionamento de uma refinaria de petróleo, um banco, um indústria de produtos químicos, etc.

Fundos Imobiliários, em sua maioria, são proprietários de imóveis e alugam esses imóveis para um terceiro. Não há muita complexidade nisso. Obviamente o mercado imobiliário tem suas características (não se preocupe, elas serão abordadas nesse site) e entender tais características é fundamental para o sucesso nos investimentos. Mas, de imediato, já partimos de um negócio mais fácil de ser compreendido.

Além da facilidade de entender o negócio, os Fundos Imobiliários tem uma estrutura financeira menos complexa do que empresas. Não há tributação e não há alavancagem (quanto a alavancagem, existem algumas particularidades).


Volatilidade

Fundos Imobiliários tem apresentado uma volatilidade menor do que ações. Portanto, menor risco.

Observe o comportamento do Índice Bovespa (principal índice do mercado de ações) e do IFIX (índice de Fundos Imobiliários) no fatídico dia 18 de maio de 2017, dia da delação da JBS.

Fonte: Autor / Google Finance

 

Esses momentos de queda nas cotações geram excelentes oportunidades de compras. Muitos investidores conscientes esperam ansiosamente por esses momentos mas, quando acontecem, ficam cristalizados e desconfortáveis para comprar mais e aproveitar essas promoções do mercado. Outros, principalmente os iniciantes, se apavoram e vendem com prejuízo nos momentos de baixa.

Por apresentarem menor volatilidade, investidores iniciantes irão perceber uma menor variação no patrimônio. Isso deixará você mais confortável para evoluir no seu aprendizado e mergulhar cada vez mais fundo nas oportunidades do mercado de capitais.


Alta distribuição de dividendos

São os dividendos que irão dar ao investidor a possibilidade de viver de renda. Fundos Imobiliários são a classe de ativos que mais distribui dividendos e com muito mais regularidade. Eles devem distribuir no mínimo 95% do lucro semestral e, em grande maioria, fazem essa distribuição de maneira regular. Isso cria o benefício incrível de gerar um fluxo de caixa constante entrando na sua conta todos os meses. Magnifico, não?

Sim, existem ações boas pagadoras de dividendos. Mas são raras as que têm um payout tão elevado ou pagam todos os meses como os Fundos Imobiliários.

Nesse momento – Julho/2018 – os Fundos Imobiliários têm apresentado, segundo dados do Radar de Fundos Imobiliários, os seguintes yields médios (últimos 12 meses) aproximados, divididos por setor:


Bom track record

Resultados passados não são garantia de resultados futuros. Mas observe a imagem a seguir e note que o desempenho dos fundos Imobiliários tem sido superior ao desempenho das ações.

Fonte: Autor / sistema Comdinheiro

Nessa avaliação temos que considerar que o IFIX pode ser analisado apenas à partir de 2011 e isso não é um tempo tão longo assim. Porém, não há dúvidas que até o momento, o desempenho da média dos fundos Imobiliários (IFIX) tem sido maior do que o desempenho da média das ações (IBOV).


The Case for REITs in the Mixed-Asset Portfolio

The Case for REITs in the Mixed-Asset Portfolio é o nome de um artigo dos autores Stephen Lee (University of Reading) e Simon Stevenson (University College Dublin) publicado no Journal of Real Estate Portifolio Management em janeiro de 2004. Esse artigo analisou dezenas de estudos que investigaram as vantagens de incluir Fundos Imobiliários em uma carteira diversificada de ativos.

Os autores chegaram a algumas conclusões, mas aqui vou enfatizar apenas duas:

  1. Fundos Imobiliários reduzem o risco global de uma carteira diversificada de investimentos (volatilidade em relação à média).
  2. Fundos Imobiliários aumentam o retorno total de uma carteira diversificada de investimentos.

Essas conclusões são válidas inclusive para carteiras que possuem imóveis através do investimento direto. Esse estudo é muito completo e interessante. Caso queira ler o estudo é só clicar nesse link.


Conclusão

Fundos Imobiliários são uma classe única de ativos. As características que essa classe de ativos possui, sugerem fortemente que todo investidor deva olhar com carinho e considerar iniciar através dela os investimentos em renda variável.

Aqueles que investem em renda variável mas ainda não tem Fundos Imobiliários no portfólio, devem também analisar com carinho a inclusão dessa classe de ativos na carteira de investimentos.

Quem gosta de imóveis, quem gosta de mercado de capitais e principalmente quem gosta de renda, de dinheiro vivo entrando mensalmente na sua conta, não tem como não gostar de Fundos Imobiliários.

 

 

 

Comentários